A Igreja Batista do Morumbi está de volta ao Summit!

#

Confira a entrevista do Pr. Lisânias Moura sobre as grandes expectativas de novamente sediar o maior evento de liderança do mundo.

Houve alguma mudança significativa na gestão do seu ministério ao sediar o Summit? O evento foi benéfico para os membros da igreja?

Lisânias Moura – Foi benéfico para minha própria vida pessoal e ministerial. As palestras do Summit aprofundaram ainda mais meu amor pela igreja de Jesus e ajudaram-me a perceber com mais profundidade meu papel pastoral ao liderar uma igreja grande como a nossa. O Summit também motivou-me a liderar com maior excelência, ao mesmo tempo em que alertou-me para certas deficiências que tenho e que precisavam ser encaradas. Para nossa igreja alguns dos frutos palpáveis foram: 1. O voluntariado aumentou em número de participantes e de compromisso. 2. O nível de excelência foi profundamente afetado. 3. O nível de compromisso pessoal de realmente assumir o papel de liderança foi considerável e líderes procuram melhorar ainda mais a forma como servem a Deus. Por estas e outras razões voltamos a hospedar o Summit em nossa igreja.

O sr. esteve em Chicago recentemente, participando do Summit 2016.
Gostaríamos de saber quais foram as suas impressões sobre o evento e se pode compartilhar algo que tenha aprendido.

Lisânias Moura – Creio que estive em pelo menos 11 edições do Summit em Chicago. De todas as vezes em que participei, esta foi a de maior impacto para minha vida e ministério. A razão para isto foi o equilíbrio entre ter ouvido palestras que abordavam a questão de liderança, seja na igreja ou fora dela, e palestras que tinham a ver com nossa alma, com o nosso crescimento como pessoa, como líder e, no meu caso, como pastor.

Qual palestra o impactou mais e por quê?

Lisânias Moura – Fui profundamente impactado pela palestra inicial do Bill Hybels sobre as lentes da liderança. Posso dizer que estou ainda mais apaixonado pelo que Deus me deu para fazer. Outra palestra impactante para mim e para aquilo que faço com nossa equipe foi a palestra do John Maxwell sobre adicionar valor às pessoas que trabalham com você. Estou procurando ser mais regular em apreciar e expressar minha apreciação para com aqueles que encontro diariamente e trabalham comigo. Outro momento marcante para minha vida foi a sessão na qual Bill Hybels, sua filha Shauna e Henry Cloud nos dirigiram em três momentos de solitude. Foi um tremendo alimento para minha alma e para aquilo que faço. Fui, nesta sessão, tremendamente confrontado com a realidade de que é em Deus que recebo meu valor e não das pessoas ou daquilo que faço.

Nesta nova edição do Summit 2016, quais as suas expectativas ao sediar novamente o maior evento de liderança do mundo, o Global Leadership Summit?

Lisânias Moura – Tenho grandes expectativas em três áreas. Primeiro, que seja para nossa igreja e equipe uma oportunidade de sermos desafiados a dar ainda mais para Deus em termos de coração e excelência, na dependência dele. Segundo, que cada pessoa da nossa equipe e todos os presentes aprofundem seu amor pela obra que Deus nos deu para realizar, liderando com visão, dependência de Deus e espírito de servo. Terceiro, usaremos o Summit como uma ferramenta para alcançar nosso bairro – o Morumbi –, onde residem pessoas-chave para o desenvolvimento da cidade de São Paulo. Estas pessoas não viriam a um culto, mas viriam a um evento do porte do Summit, e assim novas pontes serão criadas.

Qual o impacto o sr. acredita que o evento produzirá nos membros de sua igreja e quais os benefícios decorrentes disso?

Estou certo que, como fruto do Summit, nossa igreja será mais mobilizada para servir e mais pessoas preparadas para liderarem com um coração de servo dependente de Deus. Além disto, com certeza novas lideranças serão despertadas, lideranças que renovarão nossa igreja para o futuro e nosso desafio de servir à cidade de São Paulo.

  • Rogério Alencar

    Excelente e importantes lições!!!!!